14 de jan de 2008

The blossoming of Maximo Oliveros


Este foi o candidato oficial das Filipinas ao Oscar de filme estrangeiro de 2006. Sente só a ousadia: é a história de um pré-adolescente de 12 anos que, vindo de uma família de marginais, apaixona-se perdidamente por um belo policial de Manila. Maxi (reparem na impressionante atuação do garoto Nathan Lopez) é o caçula da viúva Paca. Assim como quase todos naquele cortiço, ela sobrevive na ilegalidade, fazendo apostas e vendendo celulares roubados. Extremamente efeminado, Maxi acaba sendo aceito como uma garota em corpo masculino e abandona a escola para ser “esposa”, cozinhando e limpando para quem quiser. Ele se aproxima do policial novato e viril Victor, que passa a protegê-lo – a relação platônica entre ambos resvala no romantismo. Mas quando um de seus irmãos mata um estudante durante um roubo frustrado, Maxi vê-se dividido entre amor e família. O cineasta então estreante Auraeus Solito é fiel à estética neo-realista. Um dos mais premiados filmes GLBT dos últimos anos, conquistou, entre outros: o prêmio Teddy de melhor ficção, a menção especial Urso de Vidro e o Grande Prêmio “Instrumento de Ajuda à Criança”, todos no festival de Berlim de 2006; melhor ficção no Festival Internacional de Cinema Gay & Lésbico de Turim (Itália); melhor primeiro filme no Montréal Film World Festival; prêmio Netpac no festival de Rotterdam; e o troféu Swarowski de melhor filme no Asian First Film Festival.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui sua opinião!